My Death Flags Show No Sign of Ending Volume 1 Capítulo 3

Traduzido por Kote. [PDF]


My Death Flags Show No Sign of Ending Volume 1 Capítulo 3

Mesmo quando ele tinha obtido informações importantes, ele estava longe de encontrar uma solução para a situação problemática. Era necessário formar um plano concreto para salvar Clara e Colette.

Por enquanto, Kazuki pensou que as duas necessitavam deixar o território do Stokes e mudar a sua residência para a aldeia Brosch, onde a família do protagonista Liner, da obra original, vivia.

A probabilidade de que Colette e Liner encontrarem um ao outro seria maior quando Clara ainda estivesse viva. Contanto que alguém já tivesse jogado a obra original, ele saberia que a aldeia Brosch não era grande de forma alguma, e que, pelos comentários de Liner no jogo, eles também sabiam que as crianças da aldeia se conheciam. O problema era se Colette e Liner desenvolveriam uma relação próxima como no jogo.

Enquanto Clara esteja viva, seria difícil produzir uma situação onde Colette pudesse viver com a família de Liner.

Nesse caso, ele estava ponderando se ele podia de alguma forma ou outra colocar Colette na posição de amigos de infância.

Mesmo quando ele estava gemendo ‘Umumu…’, nenhuma ideia brilhante veio à sua mente. O que apareceu naquele momento, onde ele estava chegando ao limite, era ninguém menos que Norman.

“Perdoe-me.”

Kazuki, que viu Norman inclinando a cabeça da mesma forma que tinha feito há poucas horas, pensou – ‘Como esperado, um mordomo bem treinado é diferente’, e se sentiu movido sem sentido. Se houvesse alguma coisa diferente de antes, seria o monte de folhas que estavam em ambas as mãos.

“Harold-sama, como está se sentindo…”

“Quantas vezes você me fará dizer, não há problema. E o que é isso?”

“Esses são os mapas do território dos Stokes e seus arredores, e informações sobre os assentamentos dentro e em torno da vizinhança do território.”

(Norman-san, feito eficientemente!)

Ele segurou o grito de alegria, iria destruir seu caráter. Bem, mesmo se ele tivesse dito algo, seria traduzido em algo ameaçador como 「Hou, um pouco ousado, você não acha? 」, o que poderia ser visto como um elogio.

De qualquer forma, parecia como se apenas em algumas horas, Norman reuniu um monte de informações. Decidiu ignorar o perguntar a ele sobre o trabalho original que lhe foi atribuído.

“Bom trabalho. Bem, então, como diabos você planeja salvar a empregada?”

“… é extremamente difícil para mim dizer isso, mas eu acho que o ideal seria  ela migrar para fora do território da casa Stokes.”

Esta era uma grande aposta para Norman.

Enviar pessoas para fora do território, isso seria reduzir a mão de obra e as receitas(dinheiro) que seriam coletados a partir deles. Harold estava pensando que não havia necessidade de se preocupar, já que desde o início, ele não tinha a intenção de matá-la. Norman nunca pensou que Harold estava pensando assim.

Ele pensava que Harold devia se sentir desagradável por causa da mão de obra e das receitas que se converteriam propriedade de outros nobres.

A coisa chamada honra de um nobre.

“É assim. Onde está localizada a aldeia candidata?”

“Is-isso é, aqui…”

No entanto, observando Harold responder como se nada tivesse acontecido, Norman, que estava em parte vigilante, foi desiludido.

Harold estava olhando o documento trazido por Norman enquanto ouvia. Essa atitude era séria por si mesma.

De fato, sendo otimista sobre a proposta Norman, ele começou a pensar em um plano adequado para lidar com o ponto que parecia ser problemático.

“As coisas que precisam ser reunidas para move-las para fora do território são várias. Em primeiro lugar, é mesmo possível entrar e sair do território de outros nobres facilmente?”

“Para indivíduos não há regras particulares. No entanto, se a enviamos sem nada para uma terra desconhecida, as circunstâncias de seu sustento podem ser difíceis. Eu acho que é necessário uma quantidade mínima de suprimentos…”

Se esse fosse o caso, era necessário o uso de uma pequena carruagem puxada por cavalos. Claro que, uma carruagem com cavalos da mansão Stokes.

E para que uma carruagem pertencente a uma nobre ou comerciante poder passar, uma autorização de trânsito era indispensável.

“Com os bens, se também incluímos a filha, o uso de uma carruagem não pode ser evitado. Então, você também precisa fazer algo sobre a autorização de trânsito… realmente, não há nada mais problemático do que essa coisa toda.”

Ao contrário do que diziam suas palavras, seus olhos não deixaram o documento nem por um instante.

E Norman ficou surpreso ao ver que Harold tinha entendimento sobre questões relacionadas com Clara e sua família, como se fosse óbvio. Ele tinha pensado que, normalmente, Harold era indiferente como seus pais.

(Talvez… não, como deve ser. Harold-sama, mesmo nesta idade, você deve estar pensando sobre as pessoas.)

Então, acaso ele perguntou ao que havia proposto salva-la para juntar-se a situação pessoalmente?

Se você pensar sobre isso dessa forma, tudo fez sentido.

Além disso, ele não estava se gabando de usá-la como uma cobaia para a sua nova magia, para escondê-la, quem estava prestes a ser assassinada, em um lugar seguro pelo momento?

Sem mostrar desacordo ao perder o lucro quase inexistente da mão de obra de uma única pessoa, ele não estava seriamente tentando salvá-la sem colocar dificuldades nisso?

Pensando sobre o futuro, que Clara fuja para uma terra onde o poder da mansão Stokes não chegue seria o mais seguro para ela. Sendo esse o caso, rejeitar a sugestão seria estúpido.

Desde o início, Kazuki estava se movendo para salvá-la. Era natural que ele quisesse dar o seu melhor quando inesperadamente pediu ajuda nesse assunto.

Sentimentos fervorosos brotaram no coração de Norman. Ao mesmo tempo, ele sentiu vergonha de si mesmo por suspeitar de Harold. Ele não deveria duvidar do garoto, que estava em busca de uma solução para salvar uma empregada tão seriamente.

Se o garoto está tão sério, então ele também devia ficar sério. Quando ele pensou isso, seu tom se tornou apaixonado naturalmente.

“Nesta aldeia, a próxima temporada, por causa do festival de colheita, eles constantemente precisam de ajuda…”

“Comparado ao território dos Stokes, o custo de vida é alto. Se não houver um ambiente onde obtenham um salário fixo…”

No que diz respeito a esta opinião, Harold assinalou precisamente o problema, com o documento como base. Essa capacidade de pensamento, perspectiva e conhecimento não eram os de um garoto de 10 anos.

Dentro do corpo do garoto estava um estudante universitário, por isso não era mistério que ele fosse capaz de fazer isso, mas Norman, que não sabia disso, não conseguia deixar de pensar que ele era um gênio.

Se ele falasse sobre seus sentimentos honestamente, Norman não tinha o menor indício de sentimentos agradáveis sobre a mansão Stokes. O atual chefe da família e sua esposa eram a personificação do princípio de puros-sangues e consideravam-se os eleitos. Eles desprezavam qualquer outro além dos nobres puros-sangues e nem sequer pensavam que as pessoas do território também eram pessoas.

Mas ele, que era o filho dessas duas pessoas, era diferente. Sem ser apoderado por um prejuízo simples, mantendo os valores morais importantes como humano, ele tinha uma mentalidade comparável ao de um adulto.

Esse garoto, não era a luz da esperança que iria mudar a mansão Stokes? Harold emanava um brilho que não estaria lá se não estivesse carregando tais expectativas.

“Isso é tudo.”

Finalmente, a discussão acalorada tinha terminado depois de terem passado mais de 2 horas. O céu, que podia ser visto através da janela, estava tingido de vermelho.

Da troca de opiniões com Norman, Kazuki também notou alguns dos detalhes mais precisos, das quais ele não tinha notado.

Com isso, a mudança dessas duas pessoas para a aldeia Brosch foi decidida em grande parte.

Eles hesitaram em decidir o dia em que iriam realizar o plano. Enquanto ele jogava a obra original, não sentiu que uma grande quantidade de dias tinham se passado antes que Harold matasse Clara. Parecia ter sido feito na mesma noite, 2 dias depois, no máximo.

Se não houvesse atrasos drásticos, não afetaria o fluxo da obra original, mas para tomar precauções, o plano teria que ser levado a cabo nestes três dias, incluindo hoje. Isso era para evitar uma situação em que seus pais duvidassem dele caso fosse muito impaciente. No entanto, não seria nada realista implementar o plano hoje, a esta hora. Então teria que ser o dia seguinte ou no dia depois desse.

“Norman.”

“Ha.”

“Executaremos o plano de amanhã à noite. Eu vou fazer algo sobre autorização de trânsito. Até então, complete as preparações.”

“Entendido.”

Mesmo que ele estivesse preocupado, Kazuki escolheu agir no dia seguinte. Assumindo a personalidade de Harold, ele mataria Clara no mesmo dia, em outras palavras, hoje. Ele julgou que seria melhor se eles fizessem que a situação fosse mantida perto do fluxo, tanto quanto possível.

Depois que Norman se foi, na habitação onde havia apenas uma pessoa, banhando-se na luz solar a oeste, ele começou a simular suas ações e diálogo pelo período de tempo iniciando a partir de agora até amanhã à noite, um número de vezes.

Ele estava participando de um jogo de tudo ou nada, em que absolutamente nenhum erro seria permitido, já que ele era responsável pela vida de uma pessoa.

Com isso, não havia nenhuma maneira que ele não estivesse nervoso.

Para se livrar do nervosismo, Kazuki se concentrou totalmente repetindo a simulação.

Ele estava fazendo isso o tempo todo, até que chegou a hora de jantar, quando sua consciência completamente imersa foi trazida de volta à realidade.

Ele saberia se era efetivo.

Quando eles começaram a comer o jantar, para enganar seu pai, ele foi capaz de mentir facilmente.

“Pai, eu tenho um pedido.”

“O que é Harold?”

“Recentemente, parece que um ferreiro abriu uma loja em Leitze, e também parece que as espadas vendidas lá são surpreendentes. Eu também quero tentar brandi-las.”

“Fumu, nesse caso, deveríamos enviar um empregado para comprar uma espada aleatória de lá.”

“Isso vai levar algum tempo. Eu quero ela agora, o mais rápido possível.”

“Harold realmente é valente. No futuro, ele vai se tornar um nobre esplêndido  como você, querido.”

Sua mãe estava rindo com um – Hoho Hoho.

Kazuki não sabia por que era valente por apenas querer uma espada, mas uma vez que não era diferente do que ser um fogo de cobertura, ele decidiu tirar proveito disso.

“Mãe também está dizendo, ei, não está tudo bem? Se houver uma autorização de trânsito, podemos enviar alguém para comprá-la para o meu uso.”

“Por acaso não parece que Harold realmente quer ela? Querido, não estaria bem só escrever algumas linhas?”

“De acordo. Então, amanhã de manhã, vou escrever uma autorização de trânsito.”

“Obrigado, pai!”

Se alguém olhasse para a mesa na sala de jantar cheia de risos, pensariam que era uma família unida e feliz. Mas para os empregados ao redor, não era uma coisa que eles pudessem ver calorosamente.

Todo mundo sabia que eles só pensavam nos empregados como pedras ao lado da estrada.

Seria o mesmo eles estando lá ou não. Em primeiro lugar, eles nem sequer estavam cientes de sua presença.

Mesmo que fosse a família de seu empregador, eles não podiam achar essas pessoas agradáveis.

A fria harmonia, formada pela conversa com o atual chefe e sua esposa, avançou com a noite.

Mas ninguém presente sabia que esta era uma cena falsa.

Exceto por Kazuki e Norman.

[Anterior] ᄽὁȍ ̪ őὀᄿ [Próximo]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s