Re:Zero Arco 3 Interlúdio II (1/2)

Yo! Então pessoas, eu estava traduzindo esse capítulo já tem alguns dias, e quando acordei hoje, vi que os amigos da Novel Mania também começaram a traduzir, então para não perder essa tradução, vou apenas postar ela, se quiserem ver a continuação, vão lá no site deles…

“Interlúdio II” é o penúltimo capítulo do Arco 3, e narrativamente deveria continuar logo após o final do episódio 25 do anime.

Se você ainda não viu o episódio 25 do anime ainda, assista, e depois venha ler.

Como podem ou não ter percebido, se estamos no Interlúdio II, então tem o Interlúdio I, então vou resumir um pouco o que o tradutor gringo disse: depois de reler, acho que a historia flui de forma muito melhor se passamos diretamente do episódio 25 para o Interlúdio II. O Interlúdio I é de preparação, termina em um cliffhanger, e tem pouco conteúdo em si. TUDO o que acontece no Interlúdio I é referenciado no Interlúdio III, então você não perderá nada.


Re:Zero Arco 3 Interlúdio II Vamos Comer!

No balanço da carruagem do dragão, Rem estava apenas pensando nele.

Seu nome aparecendo de repente em sua mente, Rem suavemente levantou o rosto, e estreitou os olhos contra o brilho do sol.

Olhou para o grupo de carruagens de dragão que estava na frente, entre eles estavam os soldados feridos na batalha com a Baleia Branca.

No final, apenas os seus ferimentos mais urgentes tinham sido tratados, e não eram dois ou três os que ainda estavam gravemente feridos. No entanto, apesar da dor que sentiam, nos cantos de seus lábios estavam apenas o sentimento de realização de ter realizado um sonho há muito esperado. Depois de alimentar esse sonho por tantos anos, finalmente vê-lo cumprido significava mais para eles do que ferimentos ou morte. Tendo alcançado o que se propôs, agora eles cavalgavam para a Capital, seu retorno triunfal.

Contemplando tudo isso, Rem se odiava por não ser capaz de esconder a dor em seu coração.

[Crusch: Você parece nervosa, Rem. Você ainda está preocupada com ele?]

[Rem: … Crusch-sama]

Olhando para o local de onde veio à voz, Crusch falou, sentando-se junto a Rem.

Envolta em faixas, era incrível como Rem não revelou qualquer sinal da gravidade de seus ferimentos, mas não conseguia esconder sua exaustão. O fato de que estiveram montadas em uma carruagem era também porque Crusch não estava confortável deixando Rem montar em um dragão sozinha nessas condições. Então decidiu acompanhá-la, pelo menos até que a Capital estivesse à vista.

Percebendo o olhar inquieto de Rem, Crusch encolheu os ombros, tirando importância.

[Crusch: Comparado a isto…] disse balançando a cabeça,

[Crusch: Ele tem Wilhelm, Ferris, a elite da expedição, e a companhia de mercenários de Ricardo, todos lá para ajuda-lo. Além disso, Anastasia deve ter previsto o rumo dos acontecimentos. Enquanto a força do inimigo é preocupante, eu não acho que haja qualquer razão para que eles possam perder]

[Rem: Ainda assim, eu não posso evitar ser egoísta e me preocupar]

[Crusch: Ainda não é possível eliminar a causa de seu nervosismo, huh… Quando o obstáculo está dentro de você, seria possível melhorar até que o obstáculo seja superado. Mas quando se trata de outras pessoas, sim, torna-se muito difícil… Ah, então, no final resulta que eu sou  péssima consolando pessoas, desculpe]

Vendo Rem afundar mais profundamente em seus nervos, Crusch percebeu que tinha falado demais e olhou para baixo. Mas vendo a fria e formal Crusch de repente fora de seu comportamento normal, os lábios de Rem não puderam deixar esboçar um sorriso.

[Crusch: Eh, isso é bom] Vendo isso, Crusch assentiu feliz,

[Crusch: Já dizia Natsuki Subaru, “Rem fica melhor com um sorriso, certo?”]

Embora não tinha para que dizer isso, não era uma coisa completamente estúpida de se falar.

[Rem: Crusch-sama… você sabe? Quando você sorri dá uma impressão completamente diferente. Você é normalmente severa, mas quando você sorri você se torna…]

[Crusch: Sim, as pessoas me dizem, e eu não posso dizer que não me incomoda. Desde que eu não sorrio sem motivo na frente das pessoas, eu acho que estou ficando um pouco difícil de querer…]

Rem não tinha certeza se tomaria isso como uma piada, mas vendo o sorriso amigável de Crusch, seus lábios mostraram um sorriso também. Valente e orgulhosa, para Rem, que sempre faltou a autoconfiança, Crusch era uma mulher ideal. Embora, é claro, no coração de Rem, a mais alta honra esta reservada para a irmã, Ram.

[Crusch: Em frente tem o Culto da Bruxa… Apesar de ter sido mais ou menos esperado, considerando a identidade de Emilia, até sabermos mais deles, precisamos tomar precauções. Natsuki Subaru percebe isso, mas certamente Lord Mathers tem um plano?]

[Rem: A profundidade da mente do meu mestre, Rem pode não conhecê-lo. Mesmo se você me perguntar eu não seria capaz de dizer]

[Crusch: Isso é difícil. Agora que somos aliados depois de tudo, deixar cair algumas informações não seria tão ruim.]

Talvez fosse para distrair Rem e que não caísse em pensamentos negativos novamente, é claro que foi graças à Crusch que Rem não foi deixada sozinha para afundar em suas preocupações.

Além disso, Crusch estava certa, um homem como Roswaal L. Mathers tinha que ter um grande plano para tudo isso. Sem dúvida as ações de Subaru estavam ajudando com os objetivos de seu mestre, enquanto ao mesmo tempo ele estava se recuperando sua reputação perdida.

De fato… com a caça da Baleia Branca, sua reputação tinha subido muito além do que era anteriormente.

-“Herói Natsuki Subaru”

Para Rem, cujo coração e futuro ele tinha salvado, este título era absolutamente verdadeiro e merecido. Considerando o futuro brilhante que ainda tem pela frente, também estava mais que justificado.

E então, para estar ao lado desse herói radiante, um lugar que ocasionalmente ele virasse para se certificar de que ela estava lá, se apenas esse lugar pudesse manter sua existência, então não há nada mais no mundo que Rem poderia desejar. Com apenas isso, ela seria feliz.

Quando Subaru aparece em sua cabeça, o coração de Rem sempre se enche de confusão.

Torna-se quente, e talvez calmo. E ainda assim de alguma forma também cheio de dor, nervos, desejo e preocupação.

Dar seu coração ao mesmo tempo tanta felicidade e sofrimento, apenas Subaru poderia fazer isso a ela.

Com um sorriso nos lábios, os pensamentos de Rem giraram para seu futuro: o futuro dela e Subaru.

Olhando para o rosto de Rem, Crusch deu um suspiro de alívio. Acariciando a bainha da sua espada de cavaleiro com os dedos, seus olhos olharam para o silêncio da estrada à sua frente, e pensou sobre o longo caminho para a Capital.

[Crusch: —–]

[Rem: ——?]

Crusch estreitou os olhos no exato momento em que Rem ouviu um barulho e levantou a cabeça.

O que olhos de Crusch tinham visto era algo estranho na frente da carruagem de dragão. O ruído que Rem ouviu vinha da mesma direção. Na verdade, ambas as pistas levavam à mesma conclusão.

Aos olhos de Crusch, a carruagem de dragão “se desintegrou”. Nos ouvidos de Rem, o prelúdio ao “colapso” soou com o eco das gotas de chuva.

Uma névoa de sangue saiu disparada. A imagem da carruagem de dragão diante delas de repente se tornou um triste borrão.

O dragão da terra, a carruagem, e todos os feridos foram completamente dilacerados por dentro, e depois foram destruídos com a esmagadora devastação.

[Crusch: Ataque inimigo!]

Sua garganta perplexa se atrasou só um momento, antes que Crusch vociferasse a chamada de alarme. Com Crusch no centro, as carruagens que estavam próximas notaram a crise e se prepararam para a batalha.

Rem, rejeitando qualquer sensação de dor e fadiga, com seu mangual na mão, se levantou imediatamente – do outro lado da neblina de sangue estava a sombra de um homem.

Quem é este homem que agora ardia em seus olhos, em pé no meio da estrada?

Sem armas, sem armadura, sem medo. Sem compaixão nem malícia nem intenção!

[Crusch: Esmaguem-no!!]

A ordem de Crusch soou como um rugido a partir da plataforma do condutor. Ouvindo a ordem, o cavaleiro-condutor golpeou as rédeas compreendendo. Com um grito, o dragão de terra levou a carruagem para a carga – com um impulso capaz de destruir qualquer grande animal que fizesse contato.

Sem se desviar do alvo, era uma colisão direta contra a figura levantada. O homem não mostrou qualquer intenção de se mover. E, como tal, os dois objetos se tocaram, um corpo magro prestes a ser quebrado em pedaços pel-

[Rem: Crusch-sama!]

Com este grito, Rem agarrou Crusch pela cintura dela e voou pela lateral da carruagem. Não havia tempo para pegar o condutor, Rem aterrissou mordendo o lábio, enquanto pensava sobre isso.

E então, logo depois,

[Homem: Ah, realmente? Me dou por vencido! Eu nem sequer fiz nada e alguém quer me esmagar e me matar. Sério, isso não é algo que as pessoas devem fazer. Não acredito.]

Ele falou com a atitude relaxada de um homem andando calmamente em um parque, ou tomando banho no sol ou em uma situação similar.

Se não fosse para as peças estilhaçadas do que costumava ser a carruagem de dragão, Rem não teria encontrado esta cena tão estranhamente horrorosa.

Olha como queira, o homem não parece nada fora do comum.

Seu corpo era alto e magro, e seu arrumado cabelo branco não era nem longo nem curto, nem estranho de qualquer maneira. Suas roupas pretas não eram ostentosas nem envelhecidas, e seu rosto não chamava a atenção em tudo. Era tão comum, que pode colocá-lo onde quiser e não pareceria fora de lugar, se você o encontrasse na rua iria esquecer em menos de 10 segundos.

Mas o fato é que, quando entrou em contato com esse homem, a dragão de terra foi dividido em dois, com os pés prontos para dar um passo, e, em seguida, juntamente com o condutor e a carruagem, explodiu em inúmeros pedaços indistinguíveis.

A parte mais assustadora foi que, embora Rem não o tenha perdido de vista, tudo o que podia ver era este homem simplesmente “estando de pé ali.”

Não fazendo nada, só estando lá de pé o homem sobreviveu a uma colisão com uma carruagem de dragão com carga, e estava lá como se nada tivesse acontecido.

[Crusch: Obrigada Rem, por me salvar. Mas… parece que a situação não melhorou]

Ainda nos braços de Rem, Crusch a agradeceu, colocou-se de pé novamente, e, nesse mesmo momento sacou sua espada de cavaleiro da bainha. Para o cavaleiro-condutor que seguiu sua ordem e, como resultado explodiu em mil pedaços, Crusch sentiu a dor em seu coração e estreitou os olhos.

[Crusch: Tendo assassinado tão cruelmente o meu vassalo, não ache que isso vai acabar tão facilmente… Quem é você?] (NT: pra quem mandou esmagar o cara :v)

Com sua espada desembainhada brilhando com a intenção de matar, lançou estas palavras ao homem. Interiorizando as palavras, o homem tocou o queixo e começou a balançar a cabeça como se compreendesse.

[Man: Ah, eu vejo, eu vejo, certo certo, você não sabe quem eu sou. Mas eu sei quem você é. Toda a Capital… na verdade, todo o país… você é toda um tema de conversa agora mesmo. Você é uma candidata para ser o próximo Rei, depois de tudo. Mesmo eu, tão fora de contato com o mundo, posso imaginar que é um grande peso…]

[Crusch: A conversa termina agora. Responda a minha pergunta, ou da próxima vez eu vou te matar]. (NT: o cara cortou tudo ao meio sem se mexer, é melhor correr, bitch)

[Homem: Isso é muito extremo! Mas é claro que você não pode governar um país de outra forma. No entanto, este sentimento, eu não entendo nada… Esse desejo de usar a coroa, e assumir todas as responsabilidades, como alguém pode entendê-lo? Ah, ah, embora eu não entenda, eu não discutirei com você. Eu não sou tão arrogante, não, em absoluto. Ao contrário de você…]

Sem prestar atenção a Crusch, o homem apenas seguia sem parar.

E então,

[Crusch: Como eu disse, esta era a última chance]

De acordo como Crusch pronunciava friamente essas palavras, seu braço disparou uma lâmina de vento.

A magia de vento de Crusch, combinava com esgrima, libera uma lâmina invisível. Conhecida como “O Corte dos Cem Homens”, é uma poderosa lâmina de alcance ultralongo que pode cortar o corpo de um homem sem que sequer ele saiba de onde veio, ou de quem.

Algum tempo atrás, quando o Mabesta “Grande Coelho” apareceu nas planícies do condado de Karsten, ela matou todas as Mabestas às ordens do Grande Coelho na que foi sua primeira batalha, e desde então a Condessa Crusch Karsten ganhou o nome “Corte dos Cem Homens”.

Mesmo a pele de ferro da Baleia Branca foi aberta por esta lâmina, tinha desempenhado um grande papel para derrubar essa colossal Mabesta. Em comparação com a Baleia Branca, este corpo pequeno e frágil não tinha chance de aguentar…

Porém,

[Homem: … atacar alguém enquanto ainda estão falando, onde estão seus modos?] (NT: gostei desse cara…)

Com a cabeça inclinada, como sublinhando que o seu corpo não tinha recebido qualquer dano, o homem simplesmente ficou ali.

Sua existência completamente não afetada por uma lâmina que poderia até mesmo quebrar a armadura da Baleia Branca. O corpo do homem – não, até mesmo suas roupas estavam ilesas.

Ele não defendeu o ataque, ao invés, era algo completamente diferente e desconhecido.

Crusch não poderia deixar de prender a respiração e Rem congelou no lugar, depois de testemunhar algo tão longe do entendimento. Na frente delas, o homem suspirou pela primeira vez.

[Homem: Sabe…] com um tom irritado,

[Homem: Eu estava falando. Não estava falando agora mesmo? E então você vai e me interrompe. Não é isso um pouco rude? Você não acha que está errado? Eu tenho o direito de falar… mas eu realmente não gostaria de enfatizar isso, mas não interrompa as pessoas quando elas estão falando… não é isso decência básica? Você é livre para ouvir ou não ouvir, sobre isso não digo nada, mas o que você pretende em não me deixar falar?]

Enquanto se queixava, o homem ocasionalmente dava chutes no chão com uma expressão irritada no rosto. E, como tal, apontou o dedo as duas diante dele, que agora estavam perplexas e sem palavras.

[Homem: E agora se cala, o que é isso? Você está ouvindo. Estava me ouvindo, certo? Não estava perguntando algo? Então dê-me algum tipo de resposta, deveria ser assim, certo? Você mão faz nem mesmo isso, você não quer. Ah, ah, liberdade. Essa é a sua liberdade. Você me vê reclamando e quer me matar, então, quando eu faço uma pergunta, me ignora como se fosse o vento. Temos isso? Bem, você está livre para fazer isso. Certo, vamos dizer que é assim. Mas então, o que é que isso quer dizer?]

Vendo as duas ficarem em silêncio na frente dele, preparando-se para um ataque, ele abaixou a cabeça e olhou com seus olhos penetrantes, e depois com voz contida,

[Homem: Você está ignorando meu Direito – apenas uma das minhas poucas posses, verdade?]

Ao mesmo tempo, um arrepio percorreu a espinha de Rem, o homem deu um passo adiante. Seu braço caído de levantou, criando um pequeno turbilhão de vento.

Em seguida, na mesma linha que o movimento de seu braço, a terra, o ar, e o mundo se partiu ao meio.

Dando voltas e voltas e voltas, o ombro esquerdo amputado de Crusch voou pelo ar.

Ainda segurando a bainha de uma espada de cavaleiro, o braço caiu com um fluxo de sangue. Crusch, levantada do chão com a força do impacto, caiu no chão, convulsionando-se peal dor e perda maciça de sangue.

[Rem: Crusch-sama-]

Paralisada durante alguns segundos, Rem correu ao lado da caída Crusch. Colocou as mãos sobre a ferida de Crusch e com o pequeno resquício de Mana que restava, aplicou todo o seu poder para parar o sangramento.

O ombro de Crusch fluía com vermelho brilhante, carne, ossos, nervos e artérias estavam todos perfeitamente amputados. Um ataque limpo e de grande maestria, Rem suspirou com admiração inadequada.

[Crusch: Ferris… oh… você?]

Sob os braços de curativos de Rem, Crusch olhava com olhos desfocados, resmungando, e, com o braço direito que lhe restava, se agarrava forte ao joelho de Rem. Prova de que ainda tinha força para viver.

Anúncios

2 comentários sobre “Re:Zero Arco 3 Interlúdio II (1/2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s