Ocasos. capítulo 6 – parte 1

Traduzido e revisado por Kote. (Curta também no facebook)


 

VI

Melissa entrou com David na sala, tinha passado a manhã sozinha com Peter, enquanto Carol se entendia com seus pais e David curava Melissa do que eu tinha lhe feito, sem realmente saber como ou porque.

“Falou com você?” me perguntou Melissa enquanto deixava a bandeja na mesa.

“Não” neguei “Leva toda manhã sem dizer nada… mas está bem ou isso sinto.”

“Estará esgotado” disse David enquanto se sentava na cama “Então não falou o que passou verdade?” neguei com a cabeça “Deveria lhe dar um descanso e comer um pouco”

“Mas se o solto voltará essa terrível imagem na minha cabeça” disse.

“Tranquila, eu me encarregarei disso.” Separou minha mão de Peter e não senti nada, seguia igual “Vê? Não fique muito tranquila porque não aguentarei muito” sorriu.

“Te contarei” Melissa se sentou ao outro lado da cama e começou a acariciar Peter na cabeça “Quando você conseguiu liberar seu poder foi quando Peter utilizou algo bastante cruel porque não lhe restava outra, não soa ser normal ter que chegar ao extremo” suspirou “E por isso mesmo agora não podem deixar de controlar seus pensamentos, normalmente não faz falta depois da liberação, ou não por tanto tempo. Quando você atacou nós não esperávamos que liberasse tanto, a mim não passou nada porque estava com David mas Carol foi em cheio, isso contudo nunca havia passado o medidor saiu do limite, um A plus alfa… não estávamos preparados, logo Peter bloqueou mas você estava um tanto desencadeada e seu nível é superior ao dele então poderia tê-lo matado, eh? Peter?” lhe deu no braço “Inconsciente…” ele murmurou “Mas acabou bem porque pude te parar então valeu a pena… não podia usar muito meu poder porque poderia ter te matado tendo 10% de sua capacidade e sem Peter em condições de poder de curar imediatamente depois. De agora em diante, quando você treine não será tão perigoso, simplesmente trabalharemos colocando mas limites, não tenha medo, isto que passou não voltará a se repetir.”

Não chegava a acreditar no que me dizia… quase tinha o matado sem saber o que fazia…

“Uma pergunta que Peter não me respondeu. Como entrou na minha cabeça plenamente sem permissão?”

“Não pode entrar se não deu permissão.”

“Eu dei permissão? Como?” não lembro de ter feito.

“Certamente antes de que começasse a te torturar você teve uma visão de algo agradável, você da permissão quando mostra algo que você quer fazer de verdade e se imagina fazendo, é dizer, como que por um momento você e manda e lá está cedendo esse mando a outra pessoa” disse Melissa “Embora talvez você não fosse consciente do que fazia, estava fazendo, no fundo queria deixa-lo entrar na sua cabeça…”

“O que você pensou?” David me perguntou.

“Eh… não lembro” menti como uma travessa.

Antes de começar a me torturar tinha imaginado me beijando com Peter, como podia dizer isso?

“Eu na primeira vez tinha muita fome e pensei que estava comendo uma porção de batatas” disse então Melissa antes de começar a rir com David.

“Foi realmente estranho” disse ele “Mel sempre quer coisas que não vem a historia e Carol diretamente não me da permissão, felizmente não necessitamos nunca”

“Peter não quer que digamos isso, mas temos que te avisar” Melissa me olhou seriamente “Nossa química as vezes não funciona igual que a dos humanos, as conexões que temos com os lucer podem ser mais ou menos fortes, por exemplo, a conexão que tenho eu com David é mais forte que a que tem minha irmã com ele, tenha cuidado em passar com Peter e tentar ir tente ir devagar se não você pode se arrepender de muitas cosias…”

“Não entendo…”

“Seu nível é maior que o dele, olha como está só para bloquear um pensamento seu… enquanto você talvez não está trabalhando no limite, a ele não resta outra não ser continuamente, por isso mesmo, não deixe ele fazer o que queria ou acabará o matando… mão se assuste, não deixaremos ele fazer bobagens, mas se você nos ajuda será muito mais fácil.”

“E porque ele faz? Quer que eu o mate?” olhei pra Peter um tanto confusa.

“Como já te disse, nossa química as vezes não é igual que a dos humanos e fazemos coisas sem pensar que pode nos levar a morte, não duvide que se tiver que  morrer para conservar sua vida, ele fará sem pensar… sim, são realmente estúpidos” suspirou “As vezes temos que cuidar deles mais do que eles cuidam de nós eh? David?” David sorriu como quem não quer a coisa “Assim que quando tenha que cortar, o corte, entendido?” assenti embora não sabia muito bem a que se referia.

___

[Anterior] [Início] [Próximo]

Anúncios

2 comentários sobre “Ocasos. capítulo 6 – parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s